quarta-feira, 21 de Novembro de 2007

Poesia da bruxa - "Numa casa muito estranha"

"Numa casa muito estranha
toda feita de chocolate
vivia uma bruxa castanha
que adorava o disparate.
Punha os copos no fogão
as panelas na banheira
os sapatos nas gavetas
as meias na frigideira;
escrevia com fios de água
dormia sempre de pé
cozinhava numa cama
e comia no bidé.
Varria a casa com garfos
limpava o pó com farinha
deitava cem gatos na sala
e dormia na cozinha."
António Mota

4 comentários:

Anónimo disse...

ACHEI SEU POEMA MUITO LEGAL.VOU ESCREVER ELE NO TRABALHO ESCOLAR.

Shamistad disse...

Adorei seu poema! Espero que possa usá-lo no meu blog www.wydparameninas.blogspot.com

Parabéns por sua criatividade e coordenação!

Anónimo disse...

axei a poesia muito legal...parabéés !

Anónimo disse...

Adorei o seu poema